Incentivo Aos Debates Nas Comunidades

           No último dia 4 de Maio houve uma oportunidade de participação em um debate importante sobre a atual situação econômica no Vale do Paraíba. portunidade de grande relevância, pois colocou em evidência a reação dos municípios ali representados através dos seus palestrantes, São José dos Campos, Taubaté e Pindamonhangaba, além de São Paulo, quando o Economista e Conselheiro Roberto Luis Troster do Conselho Regional no Estado de São Paulo apresentou a realidade mundial dando o tom da atual situação econômica nacional.

           Nem ao otimismo e tão menos ao excesso de pessimismo, o que vale é o realismo. Temos de tratar a situação racionalmente, muito embora o que provoca a instabilidade econômica sejam as situações de falta de confiança dos consumidores em função da aversão ao risco de alguns segmentos econômicos em função direta da retração de demandas dos seus produtos. As economias diretamente associadas a um único negócio, de forma preponderante influencia diretamente a cadeia produtiva a trabalhar de forma mais intensiva.

          Se esta demanda decresce, toda a cadeia produtiva tem a sua produção diretamente afetada. Não vamos aqui querer dizer que os empresários que assumam e paguem pela situação, pois as empresas, devem bem regular o seu dimensionamento para cuidar da sua perenidade, a manutenção dos recursos produtivos nos níveis adequados à produção de caixa para a sobrevivência destas mesmas empresas.

         É melhor termos as empresas que empreguem menos, mas sejam mantidas no mercado do que empresas que mantêm seus quadros profissionais, técnicos e operacionais e não conseguem se perpetuar nos negócios, pois iriam à quebra, quem sabe a uma recuperação judicial ou ao extremo, à falência, e isto não interessa à ninguém, nem às próprias empresas, através dos seus dirigentes e acionistas, aos seus clientes e fornecedores e às famílias. Ou seja, hoje um pai de família pode perder seu emprego, mas potencialmente ainda existirão no médio e longo prazo, empregos para os seus filhos. Todos sabemos o quanto esta situação é difícil! Mas uma das alternativas seria a revisão dos “portfolios” ou segmentos de negócios das comunidades da nossa região, pois a alta concentração em volume em um único negócio de forma intensiva afeta diretamente a economia.

          Quanto tudo vai bem, está tudo ótimo!  E não é a primeira vez que isto acontece! E bons 19 anos se passaram!. Mas o que fazer? Devemos incentivar e fomentar o debate econômico, e para tanto se percebe que as Universidades bem realizam um de seus principais papéis que é promover a pesquisa e o fomento ao desenvolvimento econômico e social. Já é hora, além do que muito tempo se passou ou se perdeu, pelo fato destas terem perdido a sua real capacidade ou motivação para tal vocação, mas que se tem por esta iniciativa do dia 4 de Maio um grande exemplo de retomada, o retorno à discussão com as comunidades, o poder público, a sociedade civil organizada, gerando ou propondo soluções e saídas para os problemas que afetam a dinâmica econômica destas mesmas comunidades.  

          Mas que todos saibam que isto não é uma crítica, mas uma simples contribuição, pois as Universidades têm um grande e importante papel no incentivo ao debate econômico e social, mas é necessário exercê-lo por todo o tempo, com crise ou sem crise!

Resultados patrocinados para: Negócios

Você pode gostar...

2 Resultados

  1. junho 27, 2010

    Incentivo Aos Debates Nas Comunidades:            No último dia 4 de Maio houve uma oportunidade de participação e… https://bit.ly/9N3vA1

  2. junho 27, 2010

    Incentivo Aos Debates Nas Comunidades:            No último dia 4 de Maio houve uma oportunidade de participação e… https://bit.ly/9N3vA1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *