Sare em sua mente

REDATOR-FREELANCER

 

Sare em sua mente

Jb. campos

 

Dedicatória:

 

Dedico estas escritas aos meus filhos, netos e esposa, os quais vieram à estrada da minha vida para me ensinarem grandes lições.

 

Minha eterna gratidão

 

Campos

 

Temos como meta sua alegria, caro leitor, porém, você, é uma floresta intrincada, e misteriosa, e o nosso parco conhecimento, é demasiadamente limitado para tratarmos profundamente de seus sentimentos, porém, nosso desejo é maior, posto que já vi­vemos um bocado de tempo e, a experiência pode falar por nós, até porque, junta­mente com ela estão nossos mentores a nos ajudar.

Sare a sua mente e, não terá mais doença alguma!

Estamos fazendo neste livro um estudo sobre a qualidade de vida de cada leitor, sim cada qual, lendo-o e se enquadrando nos respectivos tópicos que lhe digam a res­peito, haja vista um assunto muito atual, todos querendo uma vida melhor, em um país onde existe uma das maiores desigualdades sociais do mundo, e dar jeito nisso, é utópico do ponto de vista material, e a curto prazo, então apregoamos a auto-estima, e a força etérica pela qual possamos ganhar dianteira, aliás, somente o nosso interior poderá refletir a verdadeira alegria, ou a nefasta tristeza as quais possuímos dentro do peito.

Quantos suicidas nababos e famosos cometem esse ato, por algum motivo aparente­mente banal, mostrando-nos que os bens desta vida, sejam eles de quaisquer ordens, não impedem tal desgraça humana.

Viver é uma arte!

A saúde psicossomática, vem acompanhada da sabedoria interior do nosso ser.

Obviamente, estamos de passagem por este mundo empedernido pela maldade hu­mana, então temos de contar com a saúde do espírito, para depois conquistarmos a saúde do equilíbrio geral.

Mas, para que você não perca mais tempo, não importa quem seja você, pois, rece­berá os bens advindo de Deus ainda nesta sua vida, creia, isto é possível e natural à espécie humana.

 

Discípulo

 

O discípulo é semelhante ao enfermo, que espera pela cura do seu médico.

O médico aqui é representado pelo mestre.

Existem mestres encarnados e os etéricos!

A nossa medicina é limitada, já que muitas doenças não foram ainda debeladas pela ciência.

Devemos muito à medicina, ela muito tem feito por nós. . .

Houve uma época em que não existia a medicina empírica, retificando, existia uma mais empírica ainda, a dos nossos ancestrais, que juntamente com a fitoterapia fazia-se acompanhar do beneplácito dos deuses, e também funcionava, atualmente, quando a medicina moderna não consegue a cura de alguma enfermidade, dá-se a cura atra­vés da fé e da vontade de viver do paciente.

Nada melhor do que um espírito assentado, equilibrado, acomodado, sem grandes traumas que esta vida se nos oferece.

As ilusões deste mundo são teias aracnídeas para nos envolver como os frágeis inse­tos, presas fáceis aos engodos ilusórios, não estamos sendo negativistas, e sim rea­listas, confiamos no seu poder de assimilação para alcançar o equilíbrio mental, dou­trinando e dominando seus instintos.

Necessitamos muito pouco para a nossa sobrevivência, porém, insaciáveis que somos, preferimos pagar um preço muito caro pelos nossos desejos desenfreados (ilusões da vida).

Começamos pela destruição do meio ambiente.

Desmatamento sem igual solapou a nossa fauna e flora nas últimas décadas, mesmo assim, o homem não conseguiu abater a natureza por inteiro, e cremos que não con­seguirá, onde já foi deserto, hoje é vergel, e a natureza faz suas regras cobrando o preço devido, e de vez em quando vem para cobrá-lo com seus tufões, e furacões, e terremotos etc. . .

Quando dizemos, sare a sua alma e não terá mais enfermidade alguma, estamos radi­calizando, mas, para você sarar a sua alma, vai necessitar de um remédio muito efi­caz e caro, pois, terá de ser importado das energias cósmicas, e ele chama-se PAZ. . .

Somente a harmonização interior fará a importação desse remédio.

Muitos estudos milenares foram desenvolvidos pelo homem nos quadrantes terrestres, justamente na busca desse remédio, porém, poucos encontraram-no.

Quando se tem paz, até a doença torna-se desprezível, posto que já não há mais o sofrimento d’alma.

 

Mestre

 

Bem, mestre é, aquele que já experimentou um pouco de tudo que se diga respeito à vida, na nossa concepção, é aquele que se desenvolveu através de caminhos ocultos, até porque, lhe é difícil explicar um sentimento ao qual o seu semelhante não está pronto para entendê-lo.

O seu halo está sempre revestido justamente da paz, o tesouro que não se explica apenas se sente.

Obviamente, antes de ser mestre já foi discípulo, paciente, escória, e outras coisas degradantes, tendo passado por muitas agruras, e bem por isto traz consigo uma carga de experiência profunda de aprendizados mil.

O mestre é o médico que ajuda com a sua simples presença na cura da alma, e, por­tanto, do físico, já que a alma é a mediadora da saúde mental e corpórea.

Pode ser uma pessoa que não deixe se aperceber, tal a sua simplicidade, ou alguém de elevada posição social, porém, despojada de qualquer coisa desta vida.

A vida para um mestre, é um palco, onde ele representa com os demais a caminhada rumo à evolução eterna, que o faz também discípulo.

A sua definição é mais profunda, pois, ressurge através de muitos resgates cármicos, quando se chega ao grau de mestre, é porque já não se tem muito a aprender nesta vida, e por assim ser não mais voltará para este plano, a não ser por opção própria no auxílio aos seus irmãos, atitude amorável, de quem tem muito, mas, muito amor a dar.

O mestre apenas aponta o caminho, e o discípulo vai adiante no seu auto-aprendi­zado, até tornar-se também um mestre.

Bem, na realidade o mestre, ratificamos: é apenas um discípulo mais experiente e que não passa de eterno aprendiz na escala evolutiva da eternidade.

 

Mentor

 

Mentor – este é um espírito mestre de grande profundidade, pelo qual dirige nossos pensamentos de acordo com a nossa vontade, ou desejo de progresso evolutivo.

Quando propomos uma análise profícua do nosso ser, estamos querendo matar o nosso instinto animalesco, que se antecipa no seu desejo físico por coisas grosseiras.

Há uma ocupação junto à nossa essência do mentor, ou do obsessor, dependendo muito do nosso esforço.

Retratando a saúde psicossomática, citamos um provérbio muito antigo: “mente sã em corpo são”, é exatamente isto, quando o pensamento é sadio, atrai saúde e men­tores saudáveis, e quando doentio, torna-se um pára-raios atraindo terríveis descar­gas de desequilíbrios preparadas pelos obsessores. . . pois, esses alimentam-se de contendas, ódio, inveja, e toda a sorte de maldade.

 

Mestra interior

 

Mestra interior – a sua essência lhe dita os seus caminhos pelos quais deverá palmi­lhar nesta vida, ou indica-lhe o melhor rumo ao qual você deve tomar.

Com a meditação você fará um estudo profundo e verdadeiro, sem a obrigação im­posta por um sistema qualquer, que lhe ofereça um diploma, posição social, ou di­nheiro, e por isto ser leve, e partir da sua espontaneidade, alcançará o verdadeiro aprendizado da evolução.

Chegará ao entendimento, e vislumbrará seus mentores e amparadores, que somente não fazem tudo para que você melhore, porque você tem a faculdade de bloquear-lhes o acesso, impedindo assim a evolução de todos os que estiverem inseridos no contexto.

Estamos fazendo mais apologia ao mestre interior, porque sua essência funde-se aos seus mentores, tornando-se a unicidade plena e cósmica.

A mesma dificuldade que você tem de aprofundar-se em introspecção, eles têm na comunicação bloqueada por pensamentos estouvados.

Imagine-se, com uma porta no seu peito, e seu mentor, uma entidade muito impor­tante, sequiosa de velar por você, aguardando a oportunidade desta porta se abrir para poder entrar e fazer um trabalho que já estava prescrito para ser executado, pois, será muito bom para vocês dois, então não espere mais nada, abra o seu cora­ção e descarregue o jugo que a vida lhe impôs para carregar “desnecessariamente”.

Adentre-se a si mesmo, e vasculhe-se fazendo uma faxina, eliminando a sujeira an­tiga que está depositada num canto da sua alma, e que a incomoda muito, atrasando o seu caminhar na senda da evolução espiritual e até material, essa sujeira é como vírus que começam a degradar o seu corpo físico, portanto, é doença mental, que re­flete em desequilíbrio à sua vida.

Autocura

Acreditamos que todas as doenças advêm do nosso interior, e principalmente do nosso pensamento.

Você é aquilo que pensa!

Existem duas maneiras de se pensar:

 

Consciente

Inconsciente

 

Então você poderá questionar aquilo que estamos afirmando, mas, há de convir co­nosco, pois, quantas vezes você é pensado, principalmente ao dirigir o seu carro em longa distância dentro de uma megalópole, mudando centenas de vezes as marchas de seu auto, e passando pelos sinais de trânsito, e depois de um dia de muita an­dança, nada sabe a respeito disto que acabamos de escrever, tudo se processa auto­maticamente, e você não passa de um robô inconsciente, fazendo simplesmente aquilo que lhe é ditado de dentro para fora, lá do recôndito do seu ego.

Diferentemente de quando se está trabalhando num serviço de interesse primoroso, como é o caso de escrever um livro, onde concentramos nossos conhecimentos, além de contarmos com a inspiração de algum escritor-mentor e exegeta na devida maté­ria, bem, isto acontece em todas atividades que gostarmos de fazer, com a alma, com o coração etc.

Vamo-nos ater mais ao primeiro item, “a “– da consciência, onde se presta muita atenção nos detalhes, que podem representar muito sobre nossas atitudes, nos nos­sos procedimentos equilibrados.

A cura está perfeitamente inserida na consciência, que representa o interesse, o de­sejo de praticar algum ato, ou de prestar um bom serviço, ou de conquistar o bem-estar de se apresentar sanado.

Ao você se interessar sobremaneira em ir ao médico para cuidar de uma enfermidade, estará ativando a sua consciência, posto que o ato de pensar sobre essa doença no grande desvelo de ser sarado, faz com que a sua mente emita pulsos eletromagnéti­cos aos seus anticorpos que, irão de imediato combater a causa dessa doença, e res­tabelecer a sua saúde.

Além de liberar hormônios, que atuam como anestésicos naturais ao seu corpo físico mental.

Este ato de pensar com consciência facilitará plenamente o trabalho médico, e a rea­ção do seu órgão afetado contribuirá muito para sua convalescença.

O desejo sempre sobrepuja as condições, e por isto, sempre estamos ouvindo frases como estas: Fulano conseguiu pela força de vontade. . .

Que cara esforçado, e bem por isso ele merece. . .

Quem diria, beltrano tal e tal. . .

E assim, tempos muitos testemunhos de vidas explicando o inexplicável, atribuindo à muitas curas, como divinas. . .

 

Corpo físico

 

Que máquina maravilhosa, a sabedoria humana jamais reproduzirá essa máquina com a perfeição natural que, a natureza divina lhe proporcionou.

Os cientistas fazem muitas experiências com suas clonagens laboratoriais, seus tubos de ensaios são usados constantemente, e experiências genéticas estão vindo à baila, mas, sintetizar um ser humano com a perfeição natural, será impossível ao homem,

Você terá de passar a mão no seu bisturi e outros instrumentos e, adentrar-se a si mesmo em busca da sua autocura consciente.

Todos nós temos nossas febres e encefalites espirituais, é como se fossem estimu­lantes ao nosso desenvolvimento espiritual.

E por sentirmo-las no físico, concorrendo para que um dia essa máquina quebre, ou pare de vez, é que temos de rever conceitos que se aprofundaram em nossa psique, iniciando uma formação às vezes deturpada pela imposição de maneiras de agir de um sistema inadequado à uma boa saúde psicossomática.

Amor

Este verbete transcende a qualquer explicativa, então vamos trocá-lo por empatia, simpatia, identificação, ou sentimentos que se aproximem dele.

Você, como todos nós, tem empatia por algumas pessoas, sem mais nem por que. . . na realidade nem sabe explicar esse fenômeno.

É, amigo, são os médicos ocultos, os advogados ocultos, os psicanalistas ocultos, ou melhor ainda são os mentores mediando através de consciências simpáticas em prol de vocês dois, e aí começa a autocura, a resolução de seus problemas, as portas do sucesso começam a se abrir, e especialmente você que está lendo estes escritos é o grande beneficiado desses sentimentos cósmicos.

Se lhe for possível, procure estar perto de pessoas melhores do que você, para que você entenda, queremos dizer-lhe que essas pessoas carismáticas necessitam de­monstrar dignidade moral, e se assim for, fique junto delas, sem perturbá-las, o maior tempo possível.

Até que aprenda através da meditação profunda, estar em espírito, onde desejar.

Você

Como você se funde em nós, posto que somos a extensão de todos os universos, com afinidade maior a você, haja vista que somos da mesma espécie.

A prova cabal disto está entre você e seus familiares, pode até ser que você não se dê bem com alguém da sua família, porém, jamais renegará o amor fascinante pela sua mãe, ou pelo seu pai, pelo filho, pela esposa, com certeza, em determinada situação, você daria a sua própria vida por algum deles!

Então ousamos sim, falar de você, e queremos entender que você é a sua mente plasmada.

Aquilo que você pensa, geralmente pratica.

Você traz consigo as marcas da sua infância, herdade do meio em que viveu, poderá até fugir à regra, mas, alguns resquícios vêm com você à sua maturidade, creia. . .

Não importa aquilo você foi, e sim, aquilo que você é!

De acordo com a ciência, se você usasse apenas um décimo da sua capacidade men­tal, teria solução a todos os seus problemas, dentro do limítrofe humano.

 

Desperte VOCÊ, até porque você exterior, não tem trocado idéias produtivas e sábias com VOCÊ interior.

 

Há muito tempo, o Canal da Mancha fora vencido a nado, coisa impossível para aque­les dias, foi o homem, sobrepujando a si mesmo.

Lindenberg, foi um sucesso ao atravessar em seu frágil avião sobre as águas salgadas e revoltas, sendo aclamado à herói.

Dumont, com o seu Catorze Bis, parou a Paris de antanho.

Há de trinta anos, o homem pisou no solo lunar.

E, por extensão é VOCÊ praticando todos esses fatos heróicos.

– De que adiantaria a televisão, o avião, o telefone, o visor do seu computador, se não existisse você para usá-los?

Somos todos mensageiros, e resolutórios de problemas, lembra-se daquela afinidade que lhe toma o ser, quando se depara com a pessoa com a qual identifica-se.

Ao prestar atenção nos fatos que ocorrem nesse exato momento, verá estar rece­bendo um grande alento, um alívio a desopilar-lhe o fígado.

Energias emanantes dessa pessoa de grande carisma a você vêm atingir-lhe em cheio a alma.

Pode ser por palavras, por pensamentos, por atitudes, por vivências de vidas pregres­sas, por seus amparadores serem da mesma estirpe, enfim, você descobrirá através da introspecção analítica que praticar a causa desse beneplácito encontro, e jamais esqueça, tire proveito desses momentos.

Olhe só o que acontece com você juntamente a sua família, é muito natural que cada um deles tenha suas opiniões próprias, daí as controvertidas maneiras de exergarem os fatos do dia-a-dia, e você propõe agir de uma forma, mas, alguém lhe contraria com suas opiniões, e estabelece-se uma visão obinubilada, anuviada, quiçá, uma grande confusão, cada qual perdendo enorme tempo ao inculpar o outro por isto e mais aquilo.

Você terá de meditar profundamente, para conseguir clarividência e equilíbrio para se lançar ao sucesso que está desejando, embora, isso contrarie alguém.

Fala-se em olho gordo, mandinga, trabalho, e outros codinomes para dizer que você se influencia sobremaneira pelas atitudes daqueles que mais você ama, claro está que, você inconscientemente se afetará pelo simples fato de não receber o apoio, e por contrariá-los, qualquer beiço caído, trará aquela amargura ao seu coração.

Terá de aprender a lidar com isso, até mesmo no trabalho, o seu chefe, o seu sócio, ou seja, lá quem for, poderá perturbá-lo com esses fatos, que muitas vezes deriva da inveja.

E, como estamos falando de você para VOCÊ, estamos mostrando-lhe aquilo que você está se formando a cada dia que vai passando.

Infelizmente a concorrência malévola existe entre os próprios irmãos, numa disputa indescritível, e sábio é, aquele que reconhece esses fatos e mantém-se alheio a eles, apenas cuida dos seus afazeres, sem apoquentar e apoquentar-se.

Vemos milagres acontecerem em todas as castas religiosas, e faríamos uma enorme enciclopédia ao relatarmos tais fatos.

No exato momento, o escritor que agora lhe dirige no singular, recebe uma excelente notícia médica:

Somos sexagenários, eu e minha dileta esposa com a qual me casei há quarenta anos, e que acaba de chegar de um grande e respeitado hospital.

Ela esteve há alguns dias internada, e fora diagnosticada como sofredora de um in­farto do miocárdio, e a família toda ficou preocupada, posto que constatassem suas dores acompanhadas pela falta de ar, que perduraram por alguns dias.

Repentinamente notava-se uma deslumbrante disposição em suas atitudes caseiras, com os devidos exames marcados para hoje, e pelos quais passou, chega com a ma­ravilhosa notícia que não tinha mais nada, e muito menos o infarto acontecera como mostraram os exames anteriores.

Quero alertar que, a minha velha esposa é, nimbada de grande fé em Deus, e por isso recebeu o milagre da cura.

Você poderá neste momento estar passando pela crueldade da doença, e pela sua confiança na autocura sarar o seu físico através da cura de sua alma.

Autocura sim, até porque, quando Jesus efetuava suas curas era enfático em sempre dizer: “Vai em paz, a tua fé te salvou”!

Como estamos tratando de extensão, VOCÊ é a extensão cósmica de Deus, todas as maravilhas universais estão dentro de VOCÊ!

 

Energia

 

Você se vê triste, alegre ou irritado, dependendo dos decibéis produzidos por sons melódicos, ou aterradores, são energias impalpáveis e invisíveis a comandar suas atitudes, e ninguém explica convincentemente essas energias.

Os entendidos do assunto falam em alta e baixa freqüências e outras explicações mais, porém, sabemos que nos causam efeitos fantásticos.

O cosmo vibra eternamente, e somos formados por vidas, e vidas têm seus movi­mentos lentos, ou rápidos, dependendo de quais vidas tratamos.

Aqui entra em ação o maior de todos os decodificadores de energias, a mente, é o maior filtro do corpo humano.

O condicionamento da mente humana prepara o homem ao ambiente em que estiver, poderá estar em profundo silêncio meditativo, ou dentro de uma estrondosa disco­teca, e em ambos os lugares se adequar perfeitamente, dependendo simplesmente do seu condicionamento mental.

Mas, a mente não somente é um simples filtro, não, ela é a maior fonte de energia humana.

Não se engane, pois, temos os sentidos etéricos como já aventamos sobre a nossa audição, que nada tem a ver com a nossa orelha, ou com o nosso orifício auricular, a nossa visão, que traspassa vidros blindados, o olfato que recebe os inebriantes, ou fétidos cheiros, pois é, você despreza a sua força mental. . . sabendo de que é possui­dor de tantos sentidos.

Você já se apercebeu existir numa vida meio matéria e meio espírito, ah. . . você nunca parou para pensar, que pena, pense, ainda há tempo para você desfrutar de muitos bens, que a maioria vê, mas não enxerga, ouve, mas não escuta etc. . .

 

Fogo

 

O fogo abrasador pode amainar o nosso frio, suas vibrações são espetaculares, uma energia que não se apalpa, mas que destrói, causando dores incomparáveis, pense que coisa maravilhosa e espiritual é o fogo com matizes fantásticos em suas labare­das.

A energia solar é benéfica, ou maléfica de acordo com a nossa maneira de pensar, cujo pensar leva-nos à ação, vá à praia, dispa-se, não use nenhuma proteção solar, deite-se sobre a areia salgada sob o sol escaldante de 40 graus, e poderá sentir na pele os malefícios da sua insanidade mental.

Note que, todas as energias existentes são acessórios da sua mente, então veja que poder desmesurado pode expandir o seu pensamento, até porque, ele é capaz de pro­duzir o maior e melhor estado de espírito no ser humano, que é o equilíbrio.

Veja que a mente domina o físico, direcionando-o para onde desejar.

E vamos mais longe, se você quiser, pode considerar a mente humana, como a pró­pria alma, espírito e outros rótulos mais, apesar dos estudiosos darem tarefas diferen­ciadas a todos eles.

No campo religioso não cansamos de repetir as frases eclesiásticas, ditas pelo sal­mista Davi e pelo maior dentre todos os profetas, Jesus, o Cristo:

“VÓS SOIS DEUSES!”

E se você crê no livro mais lido no ocidente, a Bíblia, então creia, você é o próprio deus, dono do fogo, da água, do bem e do mal que habitam dentro de você.

Em qualquer filosofia, a existência de Deus está em tudo, e pela lógica, está em você também, então nada lhe custa pedir a Ele uma mãozinha às suas dificuldades, e ele estará pronto a lhe atender.

Claro que, sendo você o próprio deus, desbloqueie a sua mente para sê-lo, retorna­mos ao fato de estarmos encarnados, pois, se você quiser, ou desejar coisas incom­patíveis com o nosso mundo terreno, terá de sair dele, ou até desencarnar, e não se esqueça que, até Jesus, Confúcio, Maomé, Buda, e tantos outros estavam dentro do limítrofe da matéria, e por este simples motivo foram cerceados em suas ações aqui na terra.

 

Os cinco sentidos – e à mente

 

Através destes sentidos, você vive simultaneamente neste mundo e, no mundo para­lelo, ou, usando um termo em voga, mundo virtual, ou mental.

Olfato, paladar, visão, audição e tato, levam-nos ao sexto sentido, são verdadeiros sensores vibratórios.

A sua mente é feita à um computador natural, cujos programas naturais, os sentidos, foram instalados nele para que você se programe para a vida.

Conforme o local em que você nasça e cresça, outros computadores que, também fo­ram programados, e que são seus genitores, irmãos, amigos, enfim a sociedade da qual você pertença, vão enchendo o seu arquivo de coisas saudáveis e doentias.

Assim sendo, chegou a hora de você desfragmentar a memória do seu computador, para limpar o seu pensamento, para que ele aja com mais eficiência.

Cuide dele instalando um bom antivírus, pois, quando alguém é afetado por vírus chega à demência, e pratica atrocidades inefáveis, em outras palavras são os obses­sores que invadem a sua mente, ou alma.

“Antes que o mal cresça, corta-se a cabeça” – frases como esta nos quer dizer que a profilaxia é a maneira mais inteligente de se evoluir na arte do bem-viver.

Vamos dissociar a mente de outros sentidos, por ser ela a central de informática do seu computador físico, você já tem a capacidade de discernimento, sendo sabedor do bem e do mal, somente deve prestar atenção para errar menos, porque quando se erra, provoca-se a dor, e não é de bom alvitre provocar o sofrimento a alguém, pois, o seu retorno é fatídico.

A ciência médica, é muito contraditada entre si – e como ciência, não deveria ser dis­simulada.

Temos assistido em canais televisivos, profissionais da área médica, discordando pe­remptoriamente entre a própria classe.

Porém, uma coisa boa podemos atestar por ela, por amostragem, ou estatística che­gou-se a conclusão de que 30 a 40% da população que usaram pracebo, livraram-se de suas doenças, o que vem nos mostrar e provar a capacidade fantástica do condi­cionamento mental.

A nossa mente produz hormônios que nos traz a tranqüilidade emocional, como é o caso da endorfina, um elemento químico natural, produzido pelo sistema físico.

Uma droga por nome procaína, que está sendo usada por muitas pessoas famosas, e que deve ter um efeito semi calmante, foi muito discutida na televisão, por profissio­nais aquilatados que se divergiam contundemente sobre seus efeitos positivos e cola­terais, deixando pairar sobre a população uma enorme dúvida.

Parece-nos ser mais um caso de pracebo, que tem efeito nenhum, portanto, um fator inócuo ao seu usuário, que deixa bem claro o mercantilismo assolando o bolso do povo.

 

A busca

 

O homem anda à cata de felicidade, pois, aventamos sobre a qualidade de vida, sobre o sucesso profissional, a estabilidade financeira etc. . .

No campo da auto-estima profissional, discorre-se sobre fatores que produzem o su­cesso como reengenharia – neurolingüística – sinergismo – otimização – fidelização etc. Verbetes que fazem parte de um vernáculo mercantil, onde se concentra a felici­dade no ganho e na realização do trabalho.

Essa busca é constante, afinal de contas, o trabalho é o maior entretenimento hu­mano.

O homem ocioso, é um perigo constante – pois, terá tempo para pensar alguma mal­dade.

Consideramos trabalho, qualquer ato pensante, especialmente sob o aprendizado do bem.

Continue com a sua busca incessante, você será sempre um prospector de você mesmo, consciente, ou inconscientemente.

 

Desejamos-lhe muito sucesso em seus bons desejos.

 

Por que você não quer crescer?

 

Neste opúsculo estamos tratando da harmonia do nosso físico e mente, e você verá possuir a enorme condição de usufruir da alegria de viver, todo o bem está dentro de você, se assim você o enxergar, ou o mal, se assim o preferir, a escolha é sua. . .

Provavelmente vemos a vida assim:

O nosso ritual é mesmificado e enfadonho, todos os dias temos os mesmos afazeres terrenos, mesmo que pouco diferenciados, ainda assim são telúricos.

Você, naturalmente faz parte deste mundo mesmificado.

Sempre na esperança de prosperidade, tem de resignadamente repetir a cansativa mantram. . .

E a rotina continua. . . levanta-se da cama, após ter passado uma noite bem dormida, ou de plena insônia, toma-se banho, escova-se os dentes, e não é necessário repetir o seu ritual do dia-a-dia até que chegue a noite e, você irá ver as mesmas baboseiras na TV com os mesmos “sábios” apresentadores e, continua mais uma madrugada, novamente mais um dia, uma semana, um mês, um ano, uma década. . .

Então o que acontece, pela lavagem cerebral que sofre você acaba condicionando a sua mente a não pensar mais sobre seus afazeres, como se ao dirigir seu carro, tor­nasse um verdadeiro autômato de um trânsito caótico de uma megalópole, vai e vem sem se aperceber de quantas vezes cambiou seu veículo, trocou de posições todos os seus comandos, e tampouco se admira de fazer tantas peripécias inconscientemente, num ambiente extremamente hostil pelo qual poderia acometer alguém até com a morte.

Esse estado de coisa à marca-passos torna-se enfastiante, enjoativo a ponto de mui­tos se entregarem aos vícios, e é exatamente isso que está infelizmente acontecendo com muita gente boa, que acaba passando para o outro lado da vida.

Não podemos deixar de concordar com você. . . pois, a vida nunca esteve tão difícil, muitos desempregados divagam pelas ruas, e pessoas que já foram honestas partiram para senda do crime, e tudo isso estamos vendo, e sofremos também por isso, e até somos às vezes acossados por essa situação que se não fosse muito triste, diríamos esdrúxula, pois, estamos habitando um pais muito rico.

Aqui o assunto veio a calhar, imaginemos tanta terra cultivável, então por que esses desempregados não o fazem?

Todos estão dormindo o sono profundo e destrutivo da ociosidade criativa.

O poder emana do povo, e por que ele é tão desordenado e passivo?

Ora. . . se o poder emana do povo, que poder é esse, que o mata de fome?

O que a deixa literalmente desempregado?

Que sofisma, ou que mentira deslavada é essa?

O povo está cego!

E essa cegueira tornar-se-á crônica, e aí não haverá mais remédio, ele acostumar-se-á com o comodismo do desemprego e da miséria humana, achando que tudo não passa de um fatalismo divino, que para nós é luciferino!

Desculpe-nos a franqueza, não seria o seu caso?

Então você acomodou o seu pensamento e, não quer mais pensar, robotizou seus atos, colocou uma viseira em sua visão mental, a ponto de ver somente aquilo que deve fazer para sobreviver e sobreviver mal, posto que para você é mais difícil pen­sar.

Perdoe-nos irmão-amigo, longe de termos a intenção de massacrá-lo com palavras contundentes, posto que estejamos no mesmo barco, passando pelas mesmas calma­rias e tempestades, e obviamente não somos melhores do que você. . .

Estamo-nos esforçando muito para lhe passar o melhor, já pela experiência de longas décadas de vivência neste mundo.

Para inverter essa situação você terá de meditar e analisar suas atitudes, e começar a resolver problemas, não somente os seus, mas, principalmente os de seus irmãos.

Por este simples motivo, você não enxerga um futuro promissor, portanto, perde de crescer, ou, não quer crescer.

Pensa que a vida já está difícil assim, e se crescer pode ser mais dura ainda.

Errado!

Você acha que o peso da responsabilidade ser-lhe-á insuportável, engano meu amigo, pois, saiba o jugo da negligência é muito maior.

Você se escravizou, e não teve consciência dessa malfadada atitude. . .

Essa hipocrisia, esse auto-engodo vai fustigar sua alma mais do que você possa crer.

Veja o que acontece com um alcoólatra, e conhecemos pessoas boníssimas que se tornaram viciadas, escondendo-se atrás do seu vício, tornando-se irresponsáveis pelos seus atos, e até cometendo crimes torpes e banais, porém, que irão lhe cobrar um dia.

Quando criança, se não se faz algum esforço disciplinar, então não se vai mais à es­cola e pode-se degringolar aos maus hábitos da vida.

Aqui vislumbramos certa disciplina.

A verdadeira disciplina encontra-se na sua libertação, despojando-se de todos os ví­cios possíveis, até porque este verbete não fica somente nas drogas, não. . . ele é re­almente muito mais amplo.

O mexerico é um vício, que alguns o chamam de hábito, que destrói muitas vidas, os alcoviteiros, ou fuxiqueiros causam muitos males, pelo uso nefando de suas línguas.

Você acha que ao entregar-se ao aprendizado do bem, buscando o seu encontro inte­rior, tornar-se-á mais complicada a sua vida, pode até ser que sim, pois, você pode desequilibrar ao fanatismo etérico, daí se não tiver estrutura, irá aumentar o seu so­frimento, assim é o aprendizado, ele não é comensurado por ninguém, a não ser pelo seu livre-arbítrio. . .

Tanto que você não quer ver, que não sabe ser o seu próprio senhor, podendo mudar muita coisa na sua vida, porém, isso demanda tempo e desejo profundo.

Estamos sempre querendo o poder e o dinheiro, às vezes até a fama, mas, não en­xergamos com os olhos de alguns luminares da humanidade que deixaram tudo para viver o seu interior, que é imortal, e até mesmo foram sacrificados por verem além da nossa pobre visão.

Bem, não queremos isto a você, apenas estamos querendo ajudá-lo a sair do ma­rasmo e da cegueira e, escolher um caminho que é melhor do que estar aí enclausu­rado em si mesmo, perdendo o precioso tempo na eternidade.

Por medo, você não quer crescer.

As crianças não quereriam crescer, se soubessem que teriam de deixar o peito ma­terno.

Acredite que sim!

Querer é poder, sim, concordamos, quando se aciona, quando coloca-se em ação o desejo, caso contrário. . . Deus não lhe despejará do céu o sonho de seu desejo.

Meditação – introspecção, este é o verdadeiro caminho, posto que ao você meditar com o coração, ou melhor, com vontade, então chegará a ir para lugares diferentes e aprenderá nessas esferas ensinamentos inefáveis, e não mais sofrerá por esta vida, e terá a consciência de equilibrar-se nela para o bem geral do seu clã.

Sem querermos ser pudicos, afirmamos que este mundo de ilusão é uma teia que nos prende em suas vaidades consumidoras de energias humanas.

Aquele que é mestre, e por este simples motivo é mais experiente, olha com olhar complacente aos seus irmãos que se desgastam com pseudos bens deste mundo, que são todas as suas mazelas.

Orgias, veleidades, concupiscência carnal, confortos mil, aliás, aquilo que no mais puro engano chamam-nos de conforto.

O que é, o verdadeiro conforto?

É simplesmente a PAZ!

Se você tem paz, então não precisa de mais nada, até porque você já passou pela fé e pelo amor. . .

Porém, você quer continuar estático, com medo de sair do seu casulo, e com isso au­menta a sua ansiedade, e esta palavra é a síntese de todo o sofrimento, sendo que por ela chega-se até ao suicídio que, é a culminância do desespero, muitas vezes sem causa.

Não estamos mostrando a você aquilo que você sofre no seu trabalho, quando é tri­pudiado pelo seu chefe, até porque ele usa da covarde prerrogativa do desemprego em massa que assola o nosso país, não, absolutamente não, estamos referindo-nos aos seus condutores sutis que cauterizaram sua mente, bloqueando-a de ver, de sa­ber das coisas inerentes a real longevidade do seu mundo interior, da sua essência. . .

A temeridade tomou conta do seu ser, mas você poderá sair dela, ou melhor, execrá-la da sua vida, levantando a cabeça, dando a volta por cima, ou seja, irá para a luta e será vitorioso.

Você terá de estar preparado para nunca entrar em pânico em qualquer situação que se lhe apresente, não vamos radicalizar, poderá aproximar-se bastante dessa condi­ção de equilíbrio, e se alcançar um estado de espírito próximo disto, já terá avançado sobremaneira do ápice do crescimento.

Parece-nos, que você não está se inteirando muito no que lhe estamos dizendo, até, pela falta de interesse, já que optou por não sair do pseudo conforto estático, dessa languidão, porém, para o seu próprio bem venha para este tratamento catártico, e vamos esmiuçar ao máximo traduzindo estas palavras, e se você for um etimólogo, portanto, conhecedor de todos esses verbetes, queira-nos perdoar. . .

A meditação às vezes é confundida com a concentração, e para simplificarmo-la va­mos tecer algumas considerações que irão colocá-lo nesta fonte catártica, melhorando a sua maneira de pensar, ou de enxergar com sua visão mental.

Catarse é, um estado de relaxamento profundo, pelo qual a sua mente sofre uma lim­peza, e que não se confunda este relaxamento com lavagem cerebral, posto que você não esteja sofrendo nenhuma influência externa de algum líder etc. . .

O medo quererá afetá-lo posto que é por ele que você se encontra fechado em si mesmo, porém, longe de sua essência.

Você se encontra na porta, na divisa da matéria-espírito; você está na porta obstru­indo tudo, é você que faz essa confusão toda, acredite quando alguma coisa boa quer passar para melhorar o seu estado de espírito na cooperação da sua evolução, aí está você impedindo, dizendo não.

Vamos esmiuçar a nossa fala anterior quando uma entidade bondosa quer lhe ajudar com seus bons ensinamentos, e aos quais damos o nome de mentor, amparador, a sua essência que está desestruturada o impede, e ele simples faz a sua vontade, até porque você na sua totalidade corpo-mente-alma não está pronto, e o mestre real­mente se apresenta quando o discípulo está pronto, assim diz um provérbio oriental.

Ratificamos aqui a benesse do positivismo.

Porém, quando entidades emburrecidas, atrasadas, com todo o respeito que elas também, se nos merecem, posto que muitas também cheguem à evolução relativa, se lhe aparece com seus ilusórios conselhos e você os acata, então continua no seu covil, deixando o tempo passar, ficando na estagnação comodista que escolheu para viver.

Ratificamos aqui a nefasta dor do negativismo.

Pela meditação profunda você terá de deslindar, desobstruir a sua tacanha maneira de pensar damo-nos a liberdade de tratá-lo assim até porque não diferenciamo-nos muito de você, necessitamos de lutar constantemente contra essas forças escusas, que a nós nos vem assediar, creia também nisto.

E, por outro lado quem somos nós, não passamos de pobres mortais para imuni­zarmo-nos contra as hostes espirituais.

Não cansamos de repetir, os maiores luminares da humanidade sofreram tentações mil, Jesus foi tentando, e muito tentado, então não precisamos explicar muito sobre as forças ocultas que nos assediam incansavelmente.

Sua fé em Deus e em você abrirá a porta da sua evolução espiritual, pois, sem ela essa vida continuará insípida, sem tempero, e você que está acostumado com uma alimentação bem temperada, pode avaliar quão desagradável é, alimentar-se de uma refeição insossa, sem gosto. . .

O remédio encontra-se no equilíbrio, e para que se o consiga só há uma maneira efi­ciente, a meditação profunda.

Você já notou que a bebida que embriagam mais fortemente, as chamadas etílicas são horríveis nos seus primeiros goles, principalmente ao postulante ao vício alcoólico?

Sim!

“Contra fatos não há argumentos” – que bom que criaram este provérbio, pois, a nós nos é uma arma mortal contra as hostes das quais já nos referimos. . .

O mesmo acontece com outras drogas em seus efeitos colaterais, quando separados da euforia enganosa que causa esse mal que, está assolando o mundo.

Aliás, ela em si, é inteiramente colateral!

Exceto quando usada na medicina curativa. . .

E por falarmos em medicina, lembramo-nos da autocura, que é um assunto interes­sante na meditação lógica.

Preste bem atenção nessa lógica:

Quando você se encontra tenso, crispado, está fazendo uma desmesurada força in­consciente, e seu sistema nervoso fica bloqueado, e seus órgãos vitais trabalham mal sobremaneira, e seus esforços são desastrosos à sua saúde psicossomática.

Aparvalhada, sua mente pensa mal, e reflete aos seus neurônios, grândulas, células. . . Enfim, aos anticorpos informações desencontradas, e vira uma bagunça o seu ser in­tegral.

Imagine-se numa sala de aula, se o professor de física começa misturar vetores com Pedro Álvares Cabral com equação exponencial com contabilidade, será óbvio que perderá o controle da classe e a baderna estará generalizada.

Na meditação correta, que é aquela muito simples, onde você deve esvaziar sua mente, deixando-a a disposição da sua verdadeira essência, então ela será ocupada pelo gênio do mundo astral, e a sua matéria por não sofrer influência externa e sim a interna e do bem, renovará a sua saúde físico-mental. . .

Nesse estado de entrega confiante ao seu Eu Maior, sua saúde será restituída no pro­cesso de autocura.

Essa meditação é mais profunda e abrangente, no entanto se for o seu caso, vislum­bre seu corpo sendo curado, operado, ou qualquer forma de encenação teatral crendo piamente na sua veracidade, com certeza alcançará a sua cura.

Isto serve para transações comerciais, para o amor, para a vida familiar etc. . .

Jamais force qualquer situação, deixe que a sua mente faça tudo aquilo que lhe dê prazer, conquanto, esse prazer deve ser enfaticamente direcionado ao bem geral.

Bem, pela meditação chega-se ao infinito, portanto, não dá nem para explicar onde ela pode chegar somente os grandes mestres sentem esse nirvana, e infelizmente não nos é dado saber muito a respeito.

Já é hora de você crescer, praticando a meditação no auxílio de sua vida, deixando o sofrimento e mantendo a calma que o colocará em evidência no seu ambiente de tra­balho, e no seio familiar, você terá outra roupagem, tornar-se-á uma nova criatura carismática e que fará bem às pessoas somente com a sua presença.

Você quer mudar mesmo?

Talvez agora queira mudar, após redescobrir essa técnica que veio a esta vida com você, apenas você se esqueceu dela, retorne à ela, retorne ao seu centro!

A evolução é inevitável, hoje ou amanhã você terá de buscá-la, todos os seres pas­sarão pelo seu crivo, não tenha a menor dúvida.

Até por isso, você deve olhar ao seu irmão como você o foi, ou será um dia.

Considere-se um ser privilegiado por nascer neste planeta como ser humano, isto por si só já representa certa evolução.

Você já parou para pensar quantos bilhões de formas de vidas existem na terra?

A começar pelos moluscos, e protozoários, as amebas, chegando às baleias e elefan­tes. . .

E todos eles não podem pensar inteligentemente como você, porém, quaisquer deles pensam melhor se a sua inteligência for mefistofélica, maquiavélica, maldosa, ou qualquer termo pleonástico que possa traduzir o mal. . .

Maldade é antônimo de evolução, e neste particular o mundo está bem evoluído em sua maldade, portanto, emburrecido literalmente.

Voltemos à mantram, muitos usam dessa prerrogativa para meditar, bem nada temos contra ela, porém, devemos entender que com a nossa evolução devemos deixá-la para que não haja mais um mesmismo condicionante ao meditador.

Aos neófitos ela ajuda, posto que sua mente ficasse concentrada no som e não permi­tindo que a mente fique dispersa.

Quando estamos meditando temos de esvaziar nossas mentes, porém, devemos estar atentos para que algum vírus não venha penetrá-la, e consequentemente distorcer o caminho planejado da verdadeira meditação.

Não é muito simples para quem tem a mente poluída, pois, terá de paulatinamente ir desvencilhando-a de todas as mazelas que porventura guarde em seu íntimo, como o ódio, o vício da má intenção, os desejos de maldades mil. . .

Como já falamos anteriormente, somos o bem e o mal, temos em nós duas forças antagônicas, e teremos de equilibrá-las, e para que possamos possuir um bom viver, basta eliminarmos o mal, e praticarmos o bem, é uma nova etapa muito sublime onde implica uma enorme sabedoria.

O nosso assunto é muito vasto, para não dizermos, infinito. . .

Padrões humanos – somos seres condicionados, o que chamamos de equilíbrio, ou de natural, pode soar totalmente alheio a alguém com padrões diferentes.

Quando crianças, acreditávamos em bicho-papão, porém, hoje adultos já não cremos mais, o nosso Papai Noel já não nos presenteia mais, a cegonha não nos diz nada, a não ser aquele animal que voa, e nada mais.

Escala de valores nos dá idéias anômalas aos seres que não chegaram ainda ao nosso patamar evolutivo.

Ao manifestarmo-nos sobre assuntos profundamente evolutivos, seremos tachados de loucos.

Falamos isso com a mais honesta sinceridade e sem cabotinismo, porém, temos de usar a franqueza, pois, um mínimo de evolução faz uma enorme diferença, e é exa­tamente isto que estamos querendo lhe dizer.

Se você mora no Brasil e não gosta de futebol, e revelar isso aos seus contatos, pos­sivelmente não será muito bem aceito no metiê.

Assim é o ser humano, eles se comparam entre si, e qualquer atitude estranha, é o bastante para uma rejeição.

Como você vive junto de pessoas que enxergam somente o que praticam, assim como você talvez, que continua encasulado no seu mundo, então ao se evoluir terá de con­tinuar como dantes, porém, ciente de que está além dos limites da maioria.

Já aventamos sobre a maioria, desculpe-nos, ela é realmente cega, quantos maltratos ela sofre e, parece gostar, está sempre reclamando, mas, não se insurge contra os pilantras que a governam.

Fixação de imagem, com a mente calma e um relaxamento pleno, você estará muito receptivo, e poderá ver imagens que jamais imaginou às vezes pessoas estranhas lhe aparecem. Mas essa prática colocará em sua mente muitos aprendizados, com o avançar de suas meditações, assim como poderá aparecer um túnel e você começar a girar dentro dele, e isso é o prenúncio de uma projeção astral.

Sofremos muitas tensões nesta vida, por muitos motivos como problemas com a nossa família, problemas econômicos, de saúde, enfim. . . a vida está cheia de percal­ços, porém, quando nos entregamos à introspecção meditativa, conhecemos novos valores e não mais sofremos tanto quanto antes.

Problemas são problemas independentes de nosso estado de espírito.

Se você estiver alegre, eles continuarão sendo problemas. . .

Se você estiver triste, eles continuarão sendo problemas. . .

Na da verdade, aqui implica numa sabedoria natural, e que o medo nos distancia dela.

Com certeza, se você mantiver-se alegre, poderá solucionar o problema com mais fa­cilidade, pois, estará contando com a força maior do positivismo.

Aqui implica a fé, aquela que remove montanhas.

Na religião, fala-se muito em jejum de oração, ou na própria oração, pela qual exigi-se silêncio e comunhão, e isto tudo faz parte da meditação.

Se formos enumerar a quantidade de milagres alcançados pelos fiéis de todas as reli­giões, ficaríamos muitos anos escrevendo continuamente.

Esses fiéis foram condicionados a pensar no bem e no amor.

Desejamos a consciência das causas e dos efeitos à medida de que a nós nos for per­mitido conhecê-los.

Essa tal consciência realmente é infinita, e se quisermos avançar mesmo nela teremos de desencarnar, ou deixar a nossa vida.

Quando nos encontramos no mundo astral, e deixamos esse nosso corpo de matéria densa e viscosa, não desejamos mais voltar ao estado físico plasmado, mas, uma força maior nos diz para que retornemos a ele para cumprirmos a nossa missão como seres humanos.

As poucas dimensões que podemos imaginar aqui no nosso plano, não se comparam nem de longe às que conhecemos no astral, os sentimentos são intraduzíveis, por­tanto, não dá para se comentar muito a respeito, posto que cada um deve passar pela experiência inefável dessa maravilhosa vida paralela.

Vamos encerrar estas nossas escritas, pedindo a você que se eleve em auto-estima, pois, você representa todo o universo, portanto, é um representante fiel de Deus.

Sucesso nas suas meditações.

 

Medo de si mesmo

 

Primeiro vamos analisar o que é o medo:

Necessariamente, é um recurso natural de preservação da espécie.

Vamos deixar patente não existe ninguém liberado do medo.

Vejamos na prática, alguém que se diga extremamente corajoso, ou desvencilhado do medo, esteja distraidamente atravessando uma avenida, e de repente, não mais que de repente, uma buzina de uma jamanta seja acionada, pegando-o de surpresa, com a máxima certeza esse ser humano que se diz muito corajoso, irá pular de medo, se não lhe acontecer coisas bem mais desagradáveis.

Quando ouvimos alguém dizer que, a melhor defesa é o ataque, simplesmente está demonstrando o medo de perder alguma disputa, alguma concorrência etc. . .

A disputa começa lá nos primórdios de nossos dias de vida e, inicia-se exatamente pelo medo.

Inconscientemente estávamos disputando algum lugar com o nosso irmão, no elã de sermos mais hábil, ou mais amado do que ele, e isto explica-se pelo medo do fra­casso.

Medo do fracasso é muito interessante este medo, o mundo vive nimbado dele, onusto e referto deste sentimento, nações espezinham nações, através de guerras infindáveis, demonstrando ao adversário que, o mais forte domina o mais fraco, ame­drontado de que o mais fraco se fortaleça.

A dissimulação é o maior aliado do medo, quando alguém mente, por mais banal que seja a mentira, está baixando a sua guarda, pelo medo de lutar, ficando cerceado, tolhido pela covardia, que é sinônimo de medo.

Na reunião do equilíbrio, queremos avaliar até onde o medo é prejudicial ao nosso dia-a-dia. . .

A nossa luta é interna, e todos deixamo-nos enganar com a briga externa.

Hoje, morre-se no trânsito de uma megalópole, apenas ao se olhar de soslaio a algum ser amedrontado, que possivelmente sacará de uma arma e cometerá a grande bur­rice de matar qualquer inocente, apenas por achar que a vítima o encarou desafiando-o sabe-se lá por que, e ele pelo medo de se passar por um “covarde” vai à via de fa­tos.

A humanidade está acuada e assustada com tanto desajuste social, e os ladrões do povo, que infelizmente são os mais aculturados, usam de sua pseudo sabedoria para ludibriar os menos favorecidos, portanto, vemos neles encarnado o mais nojento pau­perismo!

Aqui está a maior pobreza, o medo.

A pessoa pode ser, ou ter muito, porém, mais envolto estará do medo sem causa.

“Quem não deve não teme” – não é bem assim, claro que já é um grande conforto não se sentir culpado, e isto reforça a coragem de alguém.

Porém, existe a fobia, que não tem embasamento na lógica, ela aparece com a pes­soa.

Alguém, recentemente relatou-me um fato, disse-me sofrer de um pesadelo cons­tante, desde a sua mais tenra idade, sendo uma pessoa sexagenária, e não tendo so­frido nenhum trauma que pudesse ser associado ao fato.

Suas alucinações são terríveis, segundo o seu relato.

Procurou a solução em muitos lugares, mas, continua sendo perseguido pelo medo.

Sonha que está dentro de um caminhão que, despenca a uma ribanceira, que o faz acordar aos berros, e aos alucinantes gritos.

O mais lógico dessa lembrança, se explica pela reencarnação, sendo que o nosso amigo deve ter morrido em algum desastre de caminhão, ficando marcado no seu re­gistro etéreo e, que o alucina constantemente.

Diríamos mais, é uma maneira de resgatar o seu carma.

Posso lembrar-me de uma projeção astral com bastante lucidez, onde escalava um prédio de altura relativa, e escorregava, caindo sobre os trilhos de uma linha férrea, e naquele momento por ali passava um soldado com a sua farda verde oliva, e era ainda bem jovem, e nada fez para salvar um corpo estatelado e já sem vida, posto que, senti muito medo até colidir violentamente com os trilhos, e somente daí que me apercebi de que o meu espírito deixava a carcaça de matéria humana, pude entender que havia desencarnado, e já não tive mais o famigerado medo – esta foi a minha projeção astral em uma das minhas meditações, ou seja, consideremos como um so­nho muito real.

Como não existe jeito de se livrar do medo por inteiro, então somente há uma ma­neira de amenizá-lo – incondicionalmente com o equilíbrio.

Na meditação profunda começamos a entender as raízes do medo, e de todos os ma­les da humanidade.

Espontaneidade é, o caminho mais íntegro para se aproximar da tranqüilidade.

O nosso grande Mestre Jesus, há dois milênios já conhecia esta gloriosa técnica, tanto que, ao exortar seus discípulos, disse-lhes de maneira mais simples, referindo-se à criança, pois, quem não se tornasse como uma delas, não seria digno do reino de Deus. . .

Nada mais verdadeiro do que uma criança, ela é respeitada pela sua veracidade, des­vencilhada do medo de errar, e aqui deve entrar o equilíbrio, posto que somos adultos e tratamos geralmente com adultos, e nada mais sofismático, amedrontado e crítico do que um adulto, ou seja, é radicalmente alcoviteiro, dado ao mexerico. . .

Ao depararmo-nos com nossos interlocutores, começamos analisá-los com muita des­confiança, e com razão, pois, podemos ser envolvidos em suas patranhas, em atra­palhadas que poderá nos custar caro, e este é o motivo do medo maior, posto que, vemos muita maldade nos corações humanos.

A insegurança tem imperado nas nossas vidas, aquela insegurança doentia, que nos impede o relaxamento profundo a que todos nós temos o direito natural, e as noites de insônia que nos perseguem. Até pelas pequenas bobagens da vida, basta qualquer compromisso que se nos apresente pronto, lá ficamos nós meditando e meditando completamente errados, posto que concentrassem a nossa força maior, a mental, no negativismo do será, da suposição.

O que será de mim amanhã, ao enfrentar tal autoridade?

E, o médico, será dos bons, e devo confiar meu corpo a ele?

O que será de mim?

Oh! – “Meu Deus”?

Podemos quebrar essa barreira do medo paulatinamente, não abruptamente, pois, não seríamos tão corajosos assim. . .

Na verdade, não se dá alimento sólido para recém-nascidos, posto que, não estamos acostumados com a arte meditativa, seus meandros são intrincados, como a própria vida plasmada o é.

Trata-se de um aprendizado inexorável, portanto, não adiemos essa tarefa, ela terá de se completar um dia, e quanto antes começarmos, melhor será para nós. . .

Vamos deixar bem claro, isto se estivermos deveras interessados em deixar o jugo do sofrimento da burrice humana, que se chama medo.

Voltamos a citar Jesus, quando disse: “O meu povo sofre por falta de entendimento!” – o que em outras palavras informais, significa: O meu povo sofre por burrice.

Haveremos de enfrentar nosso problema como se fora uma simples necessidade fisi­ológica, até plagiando o slogan: dor de barriga não dá uma vez só.

Não perdemos o sono, preocupados com nossas necessidades fisiológicas básicas do nosso dia-a-dia. . . mas, poderemos chegar às raias da insanidade, então entraremos em paranóia plena, outro recurso da mãe natureza contra o medo, e perdemos o senso da vida.

Quando a nossa dor torna-se aguda, já não a suportando mais, vem a benesse divina e nos coloca em catarse profunda, conhecida por desmaio, ou vertigem. . . que não passa de uma limpeza cerebral, uma purificação, ou melhor ainda um ajuste psicos­somático.

 

O que leva o homem correr tanto com a vida?

O medo de ficar para traz dos demais homens!

O medo de ser criticado por produzir menos que os demais!

O medo de ser visto como um derrotado!

O medo de seus parentes e amigos julgá-los com a contumácia humana!

O medo de ser deixado pela sua amada, que não saberia viver sem os bens desta vida!

O medo de perder sua posição social, ou o seu status!

O medo de ser desprezado!

 

Quanta bobagem o ser humano cultivou, sendo que aqui chegou plenamente nu, des­provido de qualquer peça de roupa, e assim daqui sairá.

Então que importância tem as opiniões alheias, todas se tisnarão na fuligem da me­mória do medo.

Quem nos julga, é o nosso próprio medo interno, fomentado pelos tabus de nossos ancestrais, quando erroneamente nossos pais nos direcionaram à uma vida que não sabia-se era a que queríamos para nós, cercearam o nosso livre-arbítrio, e depois, vieram as religiões, escolas, enfim a sociedade pela qual nos deixamos guiar, aden­trando um sistema natimorto, haja vista a calamidade mundial, a hecatombe planetá­ria.

O nosso ego, é muito inteligente e se apercebendo destes fatos, nos aflora o medo inconsciente, ele tem consciência destes acontecimentos, menos a nossa consciência que acaba sofrendo da doença fóbica, o medo.

 

MEDO

 

Medo – sentimento terrorista, que nos causa grande desconforto, produtor de toxina, veneno natural e mais mortífero do que se possa avaliar, e para enxergarmos melhor, vemos a nossa classe médica se drogando, cometendo o suicídio lento, ou rápido, por ser uma classe de humanos medrosos, com as devidas e justas exceções!

Paremos para pensar, quem doa sua própria vida para sarar seu próximo é, o primeiro a procurar a doença, inoculando-a em si mesmo, pelo medo de viver, ou de morrer. . .

Sem a união do equilíbrio, (medo x coragem) acontece o pior, imaginemos a nossa caixa craniana, a nossa massa encefálica, a nossa central eletrônica à uma central de informática, quando afetada por um vírus destruidor, isto vai acabar com a nossa rede, causando um grave problema na produtividade da nossa vida profissional.

Assim acontece quando a nossa mente entra em curto-circuito, gerando uma pane total, e um pânico generalizado em nós se estabelece, já que trata-se da saúde de nossa vida.

Uma obstrução ínfima cerebral, um derrame, nos trava os movimentos tão necessá­rios para uma vida normal, e aqui já não se trata mais do medo, sobrepujado pelo terror da doença, um minudente coágulo nos bota em estrondosa polvorosa.

A nossa luta maior, não deve ser com nossos inimigos externos, e sim contra as hos­tes do mal sediadas em nosso universo interno, e ao vencermo-las, venceremos qual­quer outro opositor ao nosso bem-estar.

O nosso medo deve ser debelado, posto que ele está embasado no nosso inimigo ex­posto, porém, ele torna-se o nosso maior inimigo oculto, inconsciente, e por assim ser, à nossa consciência ele fica sem origem. . .

 

Medo de quê?

 

Medo de nós mesmos!

 

“Quem não deve não teme”

 

Quem nunca ouviu essa frase na sua existência?

Este é o grande motivo de nós nos sentirmos a insegurança do medo, tendo em vista a nossa fragilidade de plena imperfeição, e por assim ser, somos o nosso pretor, querendo castigar a nós mesmos, e temerosos pelas autopunições.

Ratificamos sempre, enquanto não aprendermos a nos perdoar, não perderemos o medo da vida, e isto deve ser dentro da mais profunda consciência cósmica.

Devemos velar pela consciência, aqui podemos registrar o maior paradoxo da felici­dade, ou seja, jamais chorar o leite derramado, portanto a grande pedida para se ser feliz é aplicar o autoperdão consciente de que não devemos cair na recidiva, até por­que aqui se pode usar um dos mais cruéis subterfúgios, que é a hipocrisia do: sim­plesmente não querer ver, ou reconhecer a falibilidade humana. . .

“A pior de todas as cegueiras é aquela que vem recheada da ignóbil hipocrisia de não querer ver. ”

Quando não se quer enxergar os erros, dissimula-se a verdade, sofismando, ou men­tindo para se safar de um problema, então podemos deduzir que quando se mente a outrem, mente-se a si mesmo, posto que este fato é registrado no nosso substrato, que nos cobrará contundentemente.

Somos criaturas inteligentes, que pertencemos aos universos divinos, então temos muitas prerrogativas nas sendas do mal, ou do bem. . .

Aquele que se entrega ao bem, não tem medo nem de ser humildade, e viver uma vida muito simples, não se apega a nada, apenas cumpre sua missão de doar-se ao próximo, que com a mais absoluta certeza é um ser humano mais feliz do que a mai­oria que não tem o conhecimento de que o seu maior inimigo está dentro de si mesma.

Vamos virar o jogo, colocando-o como o elemento principal desta nossa conversa, vamos falar de você:

Você pode se libertar de seus medos, para se encontrar com a paz. . .

E, para que você entenda melhor, e para que nada possa estouvar o seu bom pensa­mento a respeito do assunto aqui pautado, vamos aventar sobre a ciência e a espiri­tualidade.

A ciência, querendo ela, ou não, vai um dia se render ao poder do espírito, pois, hoje já existe muitas ciências metafísicas, ou seja: aquelas que cuidam dos fenômenos do homem.

Faríamos uma boa relação delas se começássemos enumerá-las, vamos citar algu­mas: Psicologia – Parapsicologia – Holística, e por aí vai. . .

Bem, retomando a você e seus medos, e colocando-o ao meio do jogo da vida, aper­ceba-se de que você é um elemento do espaço cósmico, e de muito interesse à de­terminação etérica, como se dissesse a você: “Você é o barro, e Deus é o oleiro”.

O livre-arbítrio prevalece aqui, mesmo como barro você pode escolher ser moldado, ou auto moldar-se, mas, com apenas duas alternativas a do bem, ou a do mal. . .

Não estamos sendo teóticos, apenas práticos com você, para que não se prenda nas amarras da ignorância.

Bastando, você se aperceber que agiu à maneira intensa, e com bons pensamentos, somente isto lhe basta para você se sentir feliz e realizado.

Sempre estamos ouvindo alguém sendo entrevistado e, a pergunta é sempre a mesma:

Você se sente realizado?

Aí vem a mesma resposta:

Claro que não, quem se sentir realizado já pode até morrer”.

Na maioria das vezes essa resposta se apresenta mais elaborada, com mais sutileza, porém, vem redundar no mesmo sentido.

Aqui a fé vai ajudá-lo sobremaneira. . .

Sem ela nada se pode fazer.

Ela reabilita o abatido, e somente através de sua força você poderá superar a você mesmo.

Dentro de você, em algum lugar desconhecido, o qual muitos chamam-no de coração, alma, ego, imo, e a sinonímia é vasta, para dizer-se a mesma coisa, encontra-se o seu Eu, ou a sua essência, e aqui forma um novo prosaísmo, que também vai chegar à sua mente, que pode ser o local mais apropriado onde moram seus bons e maus pensamentos.

Cuja habitação nada mais é do que o painel de controle de sua vida, e consequente­mente de seus atos, com certeza nele geram os mais adversos conflitos, que plasmam do no seu dia-a-dia. . .

A paz não se compara a nenhum valor desta vida, e para isto pedimos a você reservar um quarto de hora para uma introspecção profunda, no elã de alcançar o devido equi­líbrio para vencer o estresse, e se você disser que não dispõe apenas 15 minutos de seu tempo diário, vamos bater de frente, ao apontarmos aquele seu tempo que des­pende diante de seu televisor, naquela pelada de futebol, ou nas longas horas to­mando aquela deliciosa cervejinha no relaxante bate-papo com seus amigos etc. . .

Nada temos contra seus lazeres, em absoluto, porém, notamos que você está deveras condicionado, não querendo mudar, e aí nosso amigo, fica difícil de ajudá-lo.

Você vive crispado, retesado, mas, se apercebe estar carregando uma enorme carga, que seu corpo não pode suportar, e para se desvencilhar desse fardo há somente uma maneira eficiente que se chama relaxamento profundo, jungida à introspeção.

 

TRANSE

 

Aprenda a entrar em transe a qualquer momento.

Neste transe você deixa sua mente livre, leve e solta na inocente maneira de não pré julgar ninguém.

Ao você ir contatar seu interlocutor, logo se arma contra algum motivo, talvez um “não”, que porventura possa receber etc. . .

Ao se deparar com o seu prospecto, emana a ele sua energia preventiva, para não dizermos negativa, e ele como um pára-raios a recebe com receio também, sua mente, seu coração acabam por sentir o impacto dessa energia, e aí a empatia foge de vocês, e acaba-se de produzir um estado de antagonismo entre as partes, e os bons negócios promulgadores

Resultados patrocinados para: Negócios

Você pode gostar...

2 Resultados

  1. junho 28, 2010

    Sare em sua mente: REDATOR-FREELANCER   Sare em sua mente Jb. campos   Dedicatória:   Dedico estas escritas aos me… http://bit.ly/cl4gMS

  2. junho 28, 2010

    Sare em sua mente: REDATOR-FREELANCER   Sare em sua mente Jb. campos   Dedicatória:   Dedico estas escritas aos me… http://bit.ly/cl4gMS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *