O Selo Ou Certificado De Qualidade Ambiental Como Diferencial Competitivo Em Postos Revendedores De Combustíveis

O uso inadequado dos recursos naturais vem prejudicando seriamente o equilíbrio da natureza. Há uma séria ameaça de contaminação da água a nível mundial. Há sérias ameaças de extinção de várias espécies de arvores, de animais, de peixes e de aves. Cada empresa tem o dever de procurar modelos de eficácia na aplicação de seus recursos sem prejudicar o meio ambiente. Urgente se faz em reverter este quadro de destruição pelo uso inadequado dos recursos naturais. É importante a conscientização a nível mundial, da necessidade urgente do cuidado com o planeta terra. É nossa casa. Esta precisa de uma reorganização.

Cresce a importância das auditorias nas grandes células sociais para avaliar os custos ambientais presentes e futuros. Cresce a importância da Contabilidade Social e Ambiental. Crescem os investimentos das células sociais na recuperação e preservação ambiental. O Ativo e o passivo ambiental não podem ser mais ignorados.

Este estado de coisas tem despertado na população sentimentos de defesa do meio ambiente em que vivem, pois perceberam que esta diretamente ligada a sua qualidade de vida. Os consumidores são estas pessoas mais conscientes, que com certeza irão procurar adquirir produtos e serviços em empresas ambientalmente responsáveis.

Na atualidade vem crescendo a preocupação da sociedade com as questões ligadas ao meio ambiente em que vivemos, o que acaba por formar consumidores mais exigentes com relação ao assunto, os quais procuram adquirir seus produtos em empresas ambientalmente responsáveis.

Nesta senda, cabe ressaltar que as empresas precisam formar junto aos consumidores uma imagem que alimente estes anseios, como por exemplo, obter junto a algum órgão certificador um certificado ou selo de qualidade na gestão ambiental da empresa, o que pode ser explorado como um diferencial competitivo frente á concorrência.

Isto posto, a proposta do presente trabalho é demonstrar que a obtenção do selo de qualidade na gestão ambiental da empresa constitui-se de um diferencial competitivo capaz melhorar a imagem da organização perante o meio social em que esta instalada e atrair os mais exigentes consumidores, traduzindo-se em aumento do nível de vendas e consequentemente da lucratividade da empresa através do maior giro dos estoques.

O argumentado tanto é verdade que se verifica o crescimento da Contabilidade Ambiental algumas vezes chamada também Contabilidade dos Recursos ou Contabilidade Econômica e Ambiental Integrada com a preocupação básica da eficácia do fenômeno patrimonial e a eficácia do fenômeno ambiental natural manifestou que se sustenta na teoria dinâmica da riqueza a preocupação com o social a qual defende que a formação do patrimônio não depende só do capital, mas da influência do ambiente externo onde a empresa está inserida.

É uma nova ótica que a doutrina contábil não havia ainda considerado até há pouco tempo, mas, imprescindível para o desenvolvimento de uma contabilidade aplicada ao meio ambiente onde considere-se a existência de ativos e passivos ambientais.

Foi definido como objetivo geral preparar o Auto Posto Internacional para que possa pleitear junto a algum órgão certificador a emissão de um certificado ou selo de qualidade na gestão ambiental da empresa.

Com a finalidade de atingir o objetivo estabelecido:

a)        Pesquisar para verificar quais organizações emitem certificados ou selos de qualidade de gestão ambiental para postos revendedores de combustíveis assim como as condições necessárias para que um posto revendedor de combustíveis possa pleitear a emissão do certificado ou selo de qualidade;

b)        Logo após, checar in-loco as condições existentes na organização em estudo relativo ao objetivo do estagio e realizar levantamento das eventuais mudanças que porventura possam ser necessárias;

c)        Realizar levantamento da documentação legal conexa;

d)        Para finalizar, propor para a direção da empresa as alterações pertinentes, para se pleitear junto ao órgão certificador pré-definido a emissão do selo ou certificado de qualidade na gestão ambiental.

Considerando que o objetivo geral do estágio curricular obrigatório desenvolvido por este formando é relativo à obtenção de um selo ou certificado de qualidade na gestão ambiental da empresa, pesquisou-se na internet, utilizando o site de busca google, onde verificamos que a ONG Instituto Posto Ecológico emite um selo de qualidade na gestão ambiental específico para postos revendedores de combustíveis.

As condições necessárias para que um posto revendedor de combustíveis possa pleitear a emissão do certificado ou selo de qualidade junto a ONG Instituto Posto Ecológico seguem abaixo elencados onde o estabelecimento interessado submetido a uma auditoria ambiental, que reconhece o estabelecimento como um posto revendedor de combustíveis ecologicamente correto:

e)        Licença de operação em conformidade com o Órgão Estadual;

f)          Cadastro no IBAMA;

g)        Poços de monitoramento de qualidade de água ou solo;

h)        Laudo de análise de BTEX, PAH e TPH dentro do prazo legal de conformidade;

i)          Armazenamento adequado de óleo usado;

j)           Teste de estanqueidade dentro do prazo legal de conformidade e respectiva ART;

k)        Canaletas ao redor da ilha de abastecimento;

l)           Caixa separadora de água e óleo;

m)      Comprovação, por meio de Nota Fiscal, do recolhimento dos seguintes itens:

1-               Óleo usado;

2-               Areia proveniente da caixa separadora de óleo e água;

3-               Resíduos oleosos da caixa separadora de óleo e água;

n)        Programa de gerenciamento de resíduos sólidos;

o)        Sistema de esgoto sanitário;

p)        Conformidade na vistoria de “Organização e Limpeza”.

Descreveram-se no item 3. 2. 2. 2 as desconformidades da empresa com as exigências requeridas, no entanto ao analisarmos as deficiências verificamos que não são tão difíceis de serem sanadas.

Relativo as duas primeiras alíneas, faz-se necessário investimento de capital  da empresa para adequação, com a perfuração de poços para captar amostras e solo e água com a finalidade de analise bioquímica para verificação de contaminação por resíduos de combustíveis, caracterizados pela presença de hidrocarbonetos constituintes de combustíveis automotivos no subsolo, possibilitando concluir a respeito da existência ou não de contaminação na área objeto de avaliação e conseqüente emissão dos laudos.

Em relação aos dois últimos itens descritos, verificamos que com relação ao programa de gerenciamento de resíduos sólidos a empresa não possui nenhum documento escrito, no entanto o lixo é recolhido pela companhia de limpeza urbana da cidade de Rondonópolis. Já a Conformidade na vistoria de “Organização e Limpeza” as instalações da empresa apresentam boas condições de organização e limpeza, bastando ser documentado.

Para fortalecer as argumentações expostas, buscou-se embasamento teórico nos autores a seguir discriminados:

Segundo Kroetz (2000), podemos ter um balanço patrimonial que apresente elevados resultados, mas que comparado como o balanço social demonstre atitudes negativas por parte da empresa, as quais mascaram o lucro auferido, ou seja, pode uma indústria ter lucro contábil, mas a forma de geração do resultado é altamente prejudicial ao meio ambiente.

Uma determinada empresa pode ter lucros e gerar desemprego, poluir o ambiente etc.

Outra empresa pode ter prejuízo, mas ter um excelente desempenho social com o pessoal, investindo em qualidade de vida de seus funcionários, na capacitação funcional, na contribuição de instituições não lucrativas que beneficiam a comunidade, na preservação do meio ambiente natural etc.

É relevante a observação e análise desses fatos. A partir daí questiona-se sobre a conceituação do lucro (resultado ou resultabilidade), pois, passa a ser relativo quando feitas comparações com modelos de gestão. O uso do capital não pode prejudicar a vida das pessoas, dos seres, da natureza, enfim nem no presente nem no futuro.

A contabilidade, segundo Fayol (1970), o órgão de visão das empresas. Deve revelar, a qualquer momento, a posição e o rumo do negócio. Deve dar informações exatas, claras e precisas sobre a situação econômica da empresa.

A contabilidade não pode ficar fechada à escrituração e mensurações quantitativas do patrimônio da empresa. Ela deve estar aberta á evolução tecnológica e às mudanças rápidas do mundo moderno. Estar presente na luta pela preservação ambiental natural, criando modelos contábeis eficazes e orientados o empresário na aplicação destes modelos para satisfazer as necessidades da riqueza da empresa com eficácia e, também, satisfazer com eficácia as necessidades do meio ambiente natural.

Ainda, segundo Boff (1999), cuidado todo especial merece nosso planeta Terra. Temos unicamente ele para viver e morar. É um sistema constituído de organismos de complexo equilíbrio, urdido ao logo de milhões e milhões de anos. Por causa do assalto predador do processo industrialista dos últimos séculos esses equilíbrios estão prestes a romper-se na forma de uma cadeia de acontecimentos. Interligados. Desde o começo da industrialização, no século XVIII, a população mundial cresceu por volta de uma dezena de vezes, consumindo mais e mais recursos naturais; somente a produção, baseada na exploração da natureza, cresceu mais de cem vezes. O agravamento deste quadro com a globalização do acelerado processo produtivo faz aumentar a ameaça e, conseqüentemente, a necessidade de um cuidado especial com o futuro da Terra.

Também, ensina Lopes de Sá (1997), pouco adianta, para fins humanos, que estejamos apenas demonstrar que se investiu tanto ou quanto na solução de problemas ecológicos ou em interesses sociais, se não conhecemos, pela reflexão, as bases lógicas de uma interação entre a célula e os seus entornos, entre a empresa e o meio em que vive, entre a instituição e a sociedade

Para que possamos dispor de dados e informações que nos permitam uma interpretação verdadeira será feito emprego da metodologia especificada a seguir.

O estágio será realizado no Auto Posto Internacional, sediado na cidade de Rondonópolis, entre os dais 07/04/2008 a 25/04/2008, no período das 13h00min às 17h00min de segunda a sexta-feira.

Faz-se necessário o levantamento de dados tais como pesquisar na internet quais órgãos emitem certificados ou selos de qualidade na gestão ambiental de postos revendedores de combustíveis e quais as condições e documentos necessários para obtenção do selo ou certificado. Logo após entrevistar o proprietário da empresa a respeito da documentação exigida e observar junto às instalações físicas se atendem ao que se exige, além de catalogar o que estiver fora das exigências. Para finalizar elaborar um diagnóstico organizacional, evidentemente frisando as áreas de gestão ambiental e social da empresa.

O projeto pretende evidenciar que a obtenção de um selo de qualidade na gestão ambiental traz ao produto um diferencial competitivo capaz de chamar a atenção dos mais exigentes consumidores ou empresas. Cogita-se inclusive que empresas que venham a vender produtos ou prestar serviços aos órgãos governamentais tenham que atender a parâmetros ambientais.

Como forma de analisar os dados obtidos com as pesquisas, entrevistas e observações utilizaremos como base as exigências estabelecidas pelos órgãos certificadores de qualidade na gestão ambiental.

Seguem dados relativos a identificação da empresa em estudo:

a)        Nome da Empresa: Auto Posto Internacional;

b) Nome de fantasia: Definir Lions;

c)        CNPJ: 36. 894. 574/0001-06;

d)        Endereço:Avenida Paulista, 660, na cidade de Rondonópolis;

e) Telefone / Fax: (066) 3422-1762

f)          Sócios-Proprietários: Roberto Carlos Moraes Bezerra e Salomão Moraes Bezerra;

Descrevem-se abaixo outras informações da organização em que será realizado o estágio:

a)        Nome e cargo da chefia direta: Roberto Carlos Moraes Bezerra, Diretor;

b)        Ramo de Atividade e área de atuação: Comércio de combustíveis e derivados, na cidade de Rondonópolis;

c)        Recursos Humanos da Empresa: Colaboradores qualificados para atendimento da atividade fim da empresa que é o comércio de combustíveis e derivados;

d) Número de funcionários: 20;

e)         Profissionais que atuam na empresa: frentistas, lavadores de automóveis, secretária, caixas e os proprietários;

f)          Divisão técnica do trabalho na empresa: Os proprietários realizam as tarefas administrativas de comum acordo, a parte contábil é terceirizada e os demais funcionários atuam na área operacional;

g)        Organograma da empresa:

PROPRIETÁRIOS

(decisão colegiada com avaliação de argumentos de ambos os sócios)

AREA CONTÁBIL

(terceirizada)

SECRETÁRIA

(finanças: contas a pagar e receber, atendimento de clientes)

FUNCIONÁRIOS OPERACIONAIS

(Caixas, frentistas e lavadores de veículos)

h)        Produtos e serviços desenvolvidos pela empresa: Além do comércio de combustíveis e derivados, comercializa itens de conveniência, como água mineral, carvão, gelo, refrigerantes e bebidas, como também realiza lavagem, troca de óleos lubrificantes e filtros para veículos automotores;

i)          Cadeia de Suprimentos: A empresa possui bandeira da distribuidora Petrobras, desta forma somente pode comercializar combustíveis e derivados desta marca, na área de itens de conveniência dispõe de diversos fornecedores;

j)           Histórico da Empresa: A empresa iniciou suas atividades no ano de 1993, quando os irmãos proprietários que até então eram fazendeiros resolveram passar a atuar no ramo de comércio de combustíveis e derivados, inicialmente estava instalada no bairro Vila Aurora, no entanto, no ano de 2001 foi construída sua atual sede, mais ampla e melhor estruturada, onde esta instalada desde então. A qualidade de produtos e serviços oferecidos possibilitou que com o decorrer do tempo a empresa conquistasse a fidelidade de grandes consumidores, como órgãos do governo e empresas da administração publica direta, além de uma empresa de táxis, bem como os consumidores individuais;

k)          Política ambiental da Empresa: Postos revendedores de combustível precisam de licença do órgão ambiental do estado onde atuam, sendo que no caso em questão a empresa atende a todas as exigências legais, contudo sua cultura organizacional permite as mudanças necessárias frente aos novos tempos.

Ao analisarmos as ameaças identificadas, constituídas de outros dois postos de combustível nas proximidades, além do aumento do preço do petróleo no mercado internacional e confrontarmos com as oportunidades mais promissoras que parecem ser o surgimento de novas tecnologias de produção e uso de energias que estão sendo implantadas, como bio-combustívies, bem como a conscientização da grande população com as causas ligadas ao meio ambiente, podemos infligir que o cenário para a atividade desenvolvida pela empresa é promissor, contudo deve se dar especial atenção as oportunidades, desde já preparando-se para enfrentar a concorrência, que com certeza também esta de olho no mercado. As ameaças afetam todas as empresas que estão no mercado por igual, no entanto necessita de acompanhamento por parte da empresa, para evitar-se surpresas desagradáveis que possam atingir diretamente a empresa.

Da análise exposta faz-se circunstancial concluir que para a empresa a oportunidade que surge com o advento dos consumidores mais preocupados com o meio ambiente, os quais exigem que seus fornecedores sejam ecologicamente corretos, pode ser explorado como um fortíssimo diferencial competitivo frente a concorrência, sendo capaz de atrair a atenção dos mais exigentes consumidores. Daí a importância de se obter um selo ou certificado de qualidade na gestão ambiental da empresa.

Ponderando sobre a capacidade da empresa, expressada pelos recursos humanos, recursos materiais e recursos financeiros alocados e disponíveis verifica-se que para funcionar perfeitamente a empresa necessita de 20 colaboradores, onde na seleção buscam-se profissionais que já possuam experiência, contudo, se com decorrer do tempo o colaborador apresentar potencial para exercer outras funções dentro da empresa, recebe treinamento para tal. Já com relação aos recursos materiais verifica-se que a sede da empresa é própria, com poucos anos de construção, foi bem projetada para a atividade que exerce, com maquinários, ambientes e equipamentos modernos, possui também um caminhão para transporte de combustível com capacidade para transportar 12. 000 litros e o estoque de combustível é mantido em nível para atendimento de quinze dias de demanda. Na área de finanças a situação da empresa esta consolidada, dispondo de recursos próprios suficientes para manter o giro do estoque até o recebimento das vendas efetuadas a prazo e suprir os compromissos mensais corriqueiros, como pró-labore dos sócios proprietários e pagamento da folha de pessoal, dispõe ainda de reserva da capital aplicada em banco para atender eventuais atrasos de pagamento dos grandes consumidores, ou elevação do nível de vendas a prazo

Do exposto conclui-se que a capacidade instalada da empresa e os recursos disponíveis fazem com que esteja preparada para enfrentar as ameaças ao segmento em que atua, podendo ainda utilizar do fôlego financeiro para explorar com sucesso as oportunidades que surgem, mas, deve-se atentar para que a estrutura não fique parada no tempo, buscando sempre manter o ambiente agradável de atendimento ao cliente e ao publico interno que verificou-se existir na empresa.

Avaliando a estratégia adotada pela empresa composta pelo ramo de atuação escolhido, pelos produtos e serviços oferecidos e pelo marketing constatamos que o ramo de atuação da empresa é o comércio de combustíveis e derivados, na esfera de posto revendedor. Os produtos e serviços oferecidos possuem a bandeira da Petrobras Distribuidora (BR), que dispõe de qualidade reconhecida pelo mercado. Como estratégias de marketing são exploradas a qualidade dos produtos e serviços, localização da empresa e o bom atendimento ao cliente, além das facilidades oferecidas para pagamento e venda de itens de conveniência e lavagem de veículos. No entanto observamos que deixa de ser explorado pela empresa o potencial oferecido pelos consumidores mais preocupados com o bem estar social, os quais buscam sempre que possível realizar suas compras em empresas socialmente responsáveis.

Embora tenha sido bem elaborada, a estratégia de atuação da empresa pode ser melhorada, haja vista terem sido encontradas novas oportunidades. Cabe aqui mencionar que a empresa possui entre seus clientes diversos órgãos e empresas publicas, onde tem os observado na mídia declarações de integrantes do governo e de dirigentes de grandes empresas, que estão aderindo a políticas de gestão ambiental, passando a exigir o mesmo de seus parceiros comerciais, como forma de equilibrar a balança composta pelo passivo e ativo ambiental da empresa. Então sustentamos que a obtenção de um selo ou certificado de qualidade ambiental pode ser explorado como estratégia de marketing.

Observando a estrutura em que e empresa esta calcada vemos que os dois sócios-proprietários da empresa tem a mesma participação de cada um nas decisões que são tomadas de comum acordo entre ambos, mantendo os setores da empresa que são o atendimento ao cliente na pista de abastecimento e o setor administrativo, que realiza a conferência de caixa e cadastro de clientes para venda a prazo além e gerenciamento de contas a pagar e receber, respondem diretamente aos proprietários, as tarefas de contabilidade fiscal são terceirizadas junto à outra empresa especializada. Na parte burocrática os processos formais adotados pela empresa constituem-se de documentos indispensáveis ao controle administrativo, no fluxograma, evitou-se a burocratização excessiva, sem contudo prejudicar a eficiência do controle interno e atendimento da legislação fiscal e trabalhista; Nos sistemas de informação adotados o nível de informatização permite a inferência para extrair informações gerenciais estratégicas, como nível dos estoques, relação entre contas a pagar e receber e aplicações financeiras, fechamento a abertura de caixa, que no entendimento dos proprietários estão dentro das necessidades da empresa.

Do que se observou, podemos concluir que a estrutura da empresa tem características de empresa familiar, sem muita distinção entre os setores, ou um nível de gestão intermediário entre os colaboradores e os proprietários. Enquanto a empresa possuir somente uma loja esta estrutura parece ser adequada aos objetivos dos proprietários, contudo caso a empresa pense em expandir as atividades, necessita buscar formas de se adequar as novas exigências que irão surgir, pois, nem sempre os proprietários poderão estar disponíveis para solucionar eventuais demandas.

Identificamos que o modo de pensar e agir da empresa em relação aos funcionários, clientes e amigos é mantida uma política de isenção sem deixar de responder a eventuais demandas que surgirem, que possam afetar o desempenho da organização. As tarefas da empresa estão estruturadas de forma a possibilitar a observação analise e correção de desvios que possuam traduzir-se em prejuízo. Em relação aos concorrentes a empresa procura identificar formas de estar sempre na vanguarda em relação à competitividade frente ao consumidor.

Novamente neste item voltamos a defender que a cultura da empresa de estar sempre se adequando a nova realidade do mercado merece depreender sua atenção para a oportunidade identificada que esta sendo pormenorizada neste relatório. É muito saudável para o futuro da organização buscar a criação de uma cultura organizacional de valorização do ambiente social em que está inserida.

Verificamos que os produtos e serviços oferecidos dispõem de características capazes de satisfazer os anseios dos clientes, estando dentro os melhores oferecidos pelo mercado. O preço praticado esta nos mesmos moldes e níveis da concorrência. Os serviços oferecidos distinguem-se da concorrência pela personalização e gentileza no atendimento ao cliente, que tem atraído novos clientes a cada dia, fidelizando-os. A imagem da empresa junto aos clientes e potenciais consumidores está consolidada, possui atrativos como oferecimento de produtos e serviços com a qualidade reconhecida pelo mercado, capazes de ser o diferencial quando comparados com a concorrência. No entanto observa-se que ao implantar e melhorar algumas estratégias de atuação, explorando melhor a capacidade da empresa poderão ser otimizados os resultados obtidos.

No mister circunstancial exposto esta intrínseco que a observação e análise constante do mercado e das oportunidades e ameaças suscitadas,  a empresa pode tirar lições e identificar nichos de mercado inexplorados no seu ambiente de atuação direto e então adotar medidas estratégicas que se traduzam em uma maior lucratividade final, otimizando-se a utilização dos recursos financeiros e estruturais e a capacidade instalada da organização.

Haja vista que o pré-projeto do presente trabalho previa como um dos objetivos específicos a apresentação de uma proposta com as mudanças necessárias para a obtenção de certificação de qualidade na gestão ambiental da empresa, realizou-se levantamento das condições existentes na empresa, descrito no item 3. 2. 2. 1, ao confrontarmos as condições existentes com as exigências, verificamos as desconformidades, relatado no iten 3. 2. 2. 2, já no item 3. 2. 4 descrevemos a respeito das mudanças necessárias.

Contudo, resta-nos mostrar algumas nuances a respeito da obtenção da certificação de qualidade na gestão ambiental dos postos revendedores de combustíveis, apresentados abaixo, para melhor compreensão do assunto e de suas vantagens competitivas.

Conforme dados obtidos no site da ONG Instituto Posto Ecológico, o Selo Verde emitido foi baseado em um modelo existente para a indústria transformadora de madeira, que é expedido pelo FSC – Forest Stwardship Council A. C. , um órgão da SCS – Scientific Certification System. Os critérios de avaliação levam em conta o cumprimento de toda a legislação ambiental vigente, incluindo a legislação do Conama. Existem diversos modelos de certificações deste gênero em vários locais do mundo, haja vista que hoje o Meio Ambiente é uma das maiores preocupações das autoridades.

Até o momento, somente 15 postos receberam o selo e, após o recebimento, a média de vendas destes postos aumentou cerca de 19%, fora a melhora da imagem do revendedor perante a mídia local. Para receber o Selo Verde, o posto deverá passar por uma auditoria ambiental. Após realizada a auditoria, caso o posto seja aprovado, este receberá um certificado, um banner no tamanho 1×1,5 m e dois adesivos do selo verde no tamanho de 30×30 cm. Um grupo de engenheiros e biólogos do Instituto especializados em impacto ambiental responsável pela fiscalização e auditoria dos postos.

O objetivo é que, daqui a alguns anos, todos os postos estejam de acordo com as normas ambientais, e que os postos que não se adequarem sejam multados. A idéia é que o revendedor preocupado com o Meio Ambiente possa vender seu combustível um pouco mais caro. Já está provado por pesquisa no IBOPE que as pessoas não se importam de pagar mais caro pelo combustível, contanto que a empresa esteja protegendo o meio ambiente. O adulterador, hoje não está preocupado com licença ambiental.

O aumento de cerca de 19% do nível de vendas, conforme sustentado pela organização certificadora, justifica os investimentos que necessitam ser implementados para obtenção do selo de qualidade na gestão ambiental da empresa.

A sociedade moderna tem de aprender a conviver diariamente com os crescentes problemas resultantes dos padrões de consumo. Quando bens são produzidos, consumidos e descartados a geração de resíduos é inevitável e necessita de destinações adequadas. No Brasil, assim como em outros países em desenvolvimento, os resíduos acabam sendo indiscriminadamente dispostos em áreas inadequadas por não existirem áreas controladas suficientes. Como resultado da decomposição destes resíduos é gerado um líquido tóxico de coloração escura conhecido como chorume, que através da lixiviação contamina o solo e conseqüentemente a água subterrânea.

O impacto causado no meio ambiente pelos resíduos depende da composição dos mesmos e do tipo de disposição. A disposição em um aterro sanitário, por exemplo, pode produzir gazes como metano, monóxido e dióxido de carbono, nitrogênio e amônia. Alguns destes gases podem ser tóxicos e, se nenhum sistema de captação de gases é instalado, também ocorre a contaminação do ar.

A disposição inadequada de resíduos é bastante intensificada pela crise econômica nos países em desenvolvimento. Oportunidades para adequar essa disposição de maneira sustentável são limitadas porque o orçamento do governo é limitado, portanto, o gerenciamento de resíduos representa apenas um custo adicional. Esse problema é ainda intensificado pelo aumento populacional nos grandes centros urbanos.

Gerenciar a geração de resíduos minimizando os problemas resultantes da disposição inadequada significa administrar a produção e o consumo de bens possibilitando a reposição desses materiais ao meio ambiente sem causar impactos. Esse processo está sendo gradativamente adotado pelas empresas com o objetivo de obter o licenciamento ambiental que certifica a adoção de um conjunto articulado de ações normativas, operacionais, financeiras e de planejamento, controlando a qualidade do meio ambiente e evitando desperdícios. A redução de desperdícios também causa um melhor aproveitamento de matéria-prima e redução dos custos de produção.

O licenciamento dos Postos Revendedores é obrigatório, de acordo com a Resolução Conama nº 273 de 29 de novembro de 2000 – Conselho Nacional do Meio Ambiente, devido ao fato de grande parte dos estabelecimentos estar localizada em áreas densamente povoadas, cujas populações correm riscos em casos de vazamentos de tanques, que podem provocar a contaminação do solo e das águas subterrâneas, além da possibilidade de incêndios e explosões.

Baseado na obrigatoriedade do licenciamento ambiental para Postos Revendedores de Combustíveis pela Resolução Conama n° 273 e normas ambientais vigentes foi criado o Instituto Posto Ecológico que informa e orienta companhias de petróleo, distribuidores de combustíveis, postos de serviços e empresas do setor público e privado que mantenham estoque de combustíveis. Os critérios de avaliação levam em conta o cumprimento de toda a legislação ambiental vigente. Um grupo de engenheiros e biólogos do Instituto é responsável pela fiscalização e auditoria dos postos. O objetivo é que todos os postos estejam de acordo com as normas ambientais, sendo que aqueles que não se adequarem seriam multados.

Modelo do Selo Verde – Instituto Posto Ecológico.

Os postos de abastecimento de combustíveis são atividades que apresentam um alto potencial de poluição e são assim considerados pela legislação ambiental brasileira. Tal fato se dá pelos aspectos relacionados ao potencial perigo ao meio ambiente, e que são apresentados em diversos estudos pelo mundo. Os custos despendidos para remediar um passivo em um posto de abastecimento são altos e podem levar o posto a casos extremos de descomissionamento pelo órgão ambiental, podem afetar as comunidades do entorno e além é claro dos recursos naturais. A geração de resíduos sólidos perigosos, assim como a geração de efluente liquido é outro aspecto de relevante interesse na gestão ambiental de um posto de combustível. O desenvolvimento de ferramentas para a gestão ambiental de atividades potencialmente poluidoras é imprescindível para uma adequada gestão integral destas atividades, envolvendo não só os aspectos econômicos e operacionais, mas os aspectos ambientais. A partir destas problemáticas foi desenvolvido o método Diagnóstico Ambiental para Postos de Abastecimento de Combustíveis baseado em ferramentas de gestão ambiental como auditoria ambiental, prevenção a poluição, entre outras, que visa auxiliar os operadores de postos de abastecimento a alcançar e manter a conformidade legal de seus empreendimentos.

ALLGANER, Katlen. Gerenciamento de resíduos sólidos em unidade de posto revendedor de combustíveis. Campinas: UNICAMP-Instituto de química, 2006

BOFF, Leonardo. Saber cuidar: ética do humano-compaixão pela terra. Petrópolis: Vozes, 1999.

FAYOL, Henri. Administração industrial e geral. 8ª. ed. São Paulo: Atlas, 1970.

GOOGLE. Homepage; Busca de organizações que emitem selo verde para postos revendedores de combustíveis. Disponível em < http://www. google. com. br >. Acesso em: 05 de maio de 2008.

INSTITUTO POSTO ECOLÓGICO. Homepage; Apresenta dados sobre a ONG. Disponível em < http://www. institutopostoecologico. com. br>. Acesso em: 12 de maio de 2008.

KROETZ, César Eduardo S. Balanço Social: teoria e prática. São Paulo: Atlas, 2000.

ROSA, José Antonio. Roteiro para análise e diagnóstico da empresa. São Paulo: Editora STS, 2001

SÁ, Antônio Lopes de. História geral e das doutrinas da contabilidade. São Paulo: Atlas, 1997.

SANTOS, Gildenir Carolino; PASSOS, Rosemari. Citação bibliográfica padrão ABNT. Campinas: Universidade Estadual de Campinas, 2005.

Resultados patrocinados para: Negócios

Você pode gostar...

2 Resultados

  1. junho 28, 2010

    O Selo Ou Certificado De Qualidade Ambiental Como Diferencial Competitivo Em Postos Revendedores De Combust: KOCH,… http://bit.ly/cMJT2N

  2. junho 28, 2010

    O Selo Ou Certificado De Qualidade Ambiental Como Diferencial Competitivo Em Postos Revendedores De Combust: KOCH,… http://bit.ly/cMJT2N

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *